Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Publicidade abaixo de destaque

PGR avisa Saúde sobre iminente falta oxigênio

A Procuradoria da República em Rondônia enviou, na noite de sexta-feira (19/3), ofício ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello  em que pede p...




A Procuradoria da República em Rondônia enviou, na noite de sexta-feira (19/3), ofício ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello em que pede providências para que não falte oxigênio em Rondônia.

Segundo o ofício, “se nenhuma providência for tomada, dia 24 de março de 2021 o estado sofrerá com desabastecimento”. Devido à urgência e gravidade do caso, foi solicitado ao Ministério da Saúde que responda ao Ministério Público Federal (MPF) até a próxima segunda-feira (22/3).

A situação é monitorada pelo Gabinete Integrado de Acompanhamento da Epidemia Covid-19 (Giac), da Procuradoria-Geral da República (PGR).

No documento, a empresa que fornece oxigênio medicinal para 33 municípios e alguns hospitais da capital, Porto Velho, informa que a quantia solicitada anteriormente ao Ministério da Saúde, de 80 mil m³ de oxigênio, será insuficiente para atender a demanda. Agora, serão necessários 160 mil m³, além dos 80 mil m³ que a própria empresa garante fornecer.

Ainda de acordo com a empresa, a quantia de 5 mil m³, transportada pela Força Aérea Brasileira (FAB) na última sexta, é muito aquém do que o estado necessita, sendo insuficiente para abastecer o município de Ariquemes.

A situação também é crítica no estado do Acre, vizinho a Rondônia. Segundo o advogado da empresa White Martins, o consumo de oxigênio nos dois estados “continua subindo de forma assustadora”.

Veja o ofício:

Escassez de oxigênio no país

Levantamento de Frente Nacional de Prefeitos (FNP) indica que o oxigênio para pacientes 

A FNP enviou questionários a 2,5 mil das 5.570 prefeituras brasileiras. Destas, 574 responderam nestas quinta (18/3) e sexta-feira (19/3).

Na pesquisa, 76 prefeituras afirmaram que o município tem previsão de desabastecimento de oxigênio e que esse fator poderá comprometer os serviços de saúde.

Por outro lado, o Ministério da Saúde informou que realiza “monitoramento constante sobre a demanda de oxigênio medicinal nos estados e municípios brasileiros”.

Segundo a pasta, esforços conjuntos com a Casa Civil e o Ministério da Economia estão estimulando o aumento da produção nacional e a importação de cilindros para uso hospitalar. “Lotes iniciais de cilindros que foram obtidos por requisição, junto à indústria, serão repassados, já na próxima semana, a diversos estados e municípios”, informou o ministério.

Fonte: Metrópoles

Nenhum comentário

Publicidade rodapé