Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Pai e filha morrem após desabamento de prédio em Rio das Pedras



O Corpo de Bombeiros confirmou que uma criança de 2 anos e o pai dela, Natan Gomes, morreram sob os escombros do prédio que desabou em Rio das Pedras, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, na madrugada desta quinta-feira (3/6).

Por volta das 9h20, a mãe da menina Maitê, Kiara, foi resgatada, depois de seis horas, e transferida de helicóptero para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, zona sul. Ela passará por cirurgia. Quatro pessoas foram resgatadas após o colapso da construção, incluindo Kiara.

Mais de 60 profissionais participam da ação, considerada de alto risco devido à instabilidade do terreno, em Rio das Pedras.

A mãe da menina foi levada para o hospital com lesões na bacia e na coluna. Antes, foi atendida na ambulância dos bombeiros e, durante o período em que ficou soterrada, recebeu soro e oxigênio enquanto conversava com os militares.

As equipes de resgate estão mobilizadas para a busca de sobreviventes desde o desabamento, por volta das 3h20. Kiara foi a primeira de sua família a ser localizada.

Foi ela quem avisou aos bombeiros que estava ao lado do marido, Natan, e da filha, Maitê, no momento do acidente.

“A dificuldade é que ela estava com parte de uma laje sob o quadril. Trabalho com dificuldade e de alto risco. Segundo ela, há um homem e uma criança ainda”, afirmou o coronel Leandro Monteiro, comandante-geral do Corpo de Bombeiros e secretário de Estado de Defesa Civil, antes do resgate.

Desabamento

A Polícia Civil investiga o caso e aguarda o fim do trabalho dos bombeiros para fazer perícia no local.

Aos socorristas, os moradores disseram ter começado a ouvir os estalos perto de 2h. O desabamento ocorreu entre 3h e 3h30. A Defesa Civil avalia possíveis danos que podem ter sido causados em outras quatro edificações.

Além dos bombeiros, funcionários da Defesa Civil e da Guarda Municipal também foram acionados e atuam na ocorrência. As circunstâncias do desabamento ainda estão sendo investigadas.

Testemunhas dizem que também havia uma LAN house no prédio de quatro andares que colapsou.

 considerada a primeira área de milícia do Rio de Janeiro. Os paramilitares têm como um dos principais negócios a exploração imobiliária.

Autoridades

O governador do Rio, Claudio Castro, mencionou a possibilidade de falha na fiscalização da construção: “Tem que melhorar a questão da fiscalização. Precisa ser integrada, prefeitura e estado. Não adianta falar que é problema de um ou de outro. O problema é de todos nós. Aqui ninguém foge da responsabilidade”.

Castro também acrescentou que outras construções no local estão em situação de risco. “Tem mais de um prédio com problema ali. Estão sendo feitas avaliações de todos os prédios vizinhos.”

Fonte; Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários

Páginas