Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Publicidade abaixo de destaque

PM resgata gaúcho abandonado por namorada virtual

Aos 18 anos, um jovem que se apaixonou via internet, sonhava encontrar seu grande amor em outra cidade, entretanto, a história terminou com ...




Aos 18 anos, um jovem que se apaixonou via internet, sonhava encontrar seu grande amor em outra cidade, entretanto, a história terminou com um resgate da polícia para ajudar o jovem, depois de levar bolo da namorada e ficar sozinho em São Paulo sem ter dinheiro.

Identificado como Matheus, o morador da cidade de Gravataí, Região Metropolitana de Porto Alegre, RS, conheceu uma garota pela internet, com quem começou um namoro virtual que já durava dois anos. O jovem viajou para ir morar com a namorada, que acreditava morar em Osasco, SP, mas ao chegar na cidade, foi bloqueado nas redes sociais pela garota e se viu sozinho com R$ 15 no bolso, sem conta bancária no Terminal Rodoviário do Tietê.

Matheus é órfão e mãe e nunca conheceu seu pai. Na hora, teve a ideia de ligar para o policial militar que lhe deus aulas, durante a adolescência, através do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd). O soldado Diogo Rafael Ávila de Moura, do 17ºBPM, em Gravataí, uniu uma rede colaborativa de policiais dos dois estados para que o jovem pudesse voltar à sua cidade natal.

“Sou pai, fico emocionado, me coloco no lugar dele. Imagina se fosse a minha filha lá?”, afirmou o soldado da PM ao EXTRA nesta quinta-feira (11).

o soldado Ávila encontrou Matheus na rodoviária depois de juntar R$ 500 em uma vaquinha com colegas para pagar a passagem de volta e a alimentação do rapaz, que perdeu o contato com a namorada assim que chegou na cidade, no domingo (7).

“Na segunda de tarde, ele [Matheus] já estava desesperado, me ligou chorando: “bah, eu acho que caí num golpe. Ela me bloqueou, não fala mais comigo e tal”, aí eu: “Não, te acalma que eu vou começar a organizar tua vinda, fica tranquilo”, disse o policial.

O soldado da PM acionou seus superiores pedindo ajuda e conseguiu montar uma rede de ajuda com policiais de Porto Alegre e de São Paulo.

“A major Karina e o nosso comandante, coordenador estadual do Proerd, coronel Cilon, me chamaram inbox e eu expliquei de novo toda a situação que estava acontecendo. Deu uma questão de minutos, uma major de São Paulo me chamou no WhatsApp e a capitã Lídia, do Proerd de lá: “Estou mandando agora uma guarnição pro terminal Tietê em São Paulo, onde ele está, e nós vamos achá-lo”, informou Ávila.

O policial descreveu a situação como gratificante, por ter sido lembrado pelo jovem, ao precisar de ajuda.

“Numa das últimas aulas [do PROERD], eu falo da rede de ajuda, a quem eles podem pedir ajuda: pai, mãe, tios, primos, policial militar, bombeiro, policial civil. Então isso pra mim é muito gratificante, porque no momento em que ele mais sentiu perigo, mais sentiu medo, ele ligou pra mim. Ele lembrou lá da minha aula há anos do círculo de confiança, da rede de ajuda, que sempre poderia pedir ajuda a um policial militar”, destacou o PM.

Matheus foi recebido na rodoviária de Porto Alegre, na noite desta quarta-feira (10), pelo coordenador estadual do Proerd, tenente-coronel Cilon e pelo seu instrutor soldado Ávila.

“Quando ele desceu do ônibus aqui ontem, a primeira frase que ele falou, ele me olhou chorando e falou: “Eu tinha certeza que o senhor não ia me deixar lá”, disse o policial.

Após a recepção, o jovem foi conduzido de viatura até a residência de sua madrinha, em Gravataí.

Fonte: Terra Brasil Noticias

Nenhum comentário

Publicidade rodapé