Page Nav

HIDE

Bolsonaristas invadem o Congresso e o Planalto em manifestação antidemocrática

  Bolsonaristas extremistas invadiram prédios do Congresso Nacional e do Palácio do Planalto  Ocuparam a Esplanada dos Ministérios, na tarde...

 


Bolsonaristas extremistas invadiram prédios do Congresso Nacional e do Palácio do Planalto

 Ocuparam a Esplanada dos Ministérios, na tarde deste domingo (8/1), em protesto contra a vitória de Lula nas eleições 2022.

Por volta das 14h40, extremistas invadiram o Congresso Nacional sob uma chuvas de bombas de gás lacrimogênio. Em seguida, conseguiram passar pelas barricadas da Polícia Militar do Distrito Federal e entrar no Palácio do Planalto.

Ao chegar próximo ao Congresso Nacional, no início da tarde, os manifestantes partiram para cima dos agentes da PM que faziam o isolamento dos prédios públicos. Veja vídeo:

Início da invasão

Os manifestantes partiram do quartel-general do Exército, em Brasília, rumo à Esplanada dos Ministérios no fim da manhã. Alguns dos bolsonaristas foram à região central da capital da República com pedaços de pau na mão.

“Vamos Brasília, derrubar o Congresso”, inflamou um dos “patriotas”.


Já na altura do Estádio Nacional Mané Garrincha, um caminhão com ambulante (foto na galeria acima) ofereceu água aos bolsonaristas, que recusaram e acusaram o vendedor de ser “petista”. “Não compre água dele, ele é petista”, gritou um manifestante.

Agentes da (PM-DF) pararam parte dos extremistas que estavam armados e começaram a revistá-los. Junto dos pertences dessas pessoas havia ainda armas brancas, que poderiam ser utilizadas para violência.

Ao passarem próximos aos hotéis do Setor Hoteleiro Norte, hóspedes balançaram bandeiras em apoio a Lula e receberam gritos “Lula ladrão, seu lugar é na prisão”. A polícia precisou interromper o trânsito de duas faixas do Eixo Monumental, sentido Rodoviária, para garantir a segurança dos protestantes. Assista:

Segurança reforçada em Brasília

Brasília amanheceu neste domingo (8/1) com policiamento reforçado. O maior fluxo de forças de segurança se encontra nas proximidades da Esplanada dos Ministérios, onde está prevista uma manifestação contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Tropas da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e membros da Força Nacional de Segurança guardam o local, em caso da presença de extremistas.

Um novo grupo de manifestantes bolsonaristas chegou ao Quartel General do Exército de Brasília neste domingo. Em pequenos grupos e duplas, os descontentes com o presidente petista estão descendo para a Esplanada. Há, ainda, uma concentração de pessoas perto do Ministério da Saúde e do Itamaraty.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
Publicidade do parceiro Metrópoles 7
Publicidade do parceiro Metrópoles 8
Publicidade do parceiro Metrópoles 9
Publicidade do parceiro Metrópoles 10
1

Convite para as manifestações

Ao longo da última semana, bolsonaristas convocaram um ato na capital da República, só que sem aval da Segurança Pública do DF. De qualquer forma, o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), disse no sábado (7/1) à coluna Grande Angular, que as manifestações estão liberadas desde que ocorram de maneira “pacífica”.

Neste domingo (8/1), o ministro da Justiça, Flávio Dino, escreveu, em seu perfil no Twitter, esperar que não ocorram atos violentos, para que a polícia não precise agir.

Defesa, GDF e policiais acionados

No sábado (8/1), Dino já havia publicado que não permitiria a realização de uma “guerra”.

O ex-governador do Maranhão ainda afirmou que já entrou em contato com o ministro da Defesa, José Múcio, e o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB). Além dos diretores-gerais da Polícia Federal (PF), Andrei Rodrigues e, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Antônio Fernando Oliveira.

Créditos: Metrópoles