Page Nav

HIDE

Jogador é condenado a morte por protestar a favor das mulheres

  Por participar de uma manifestação a favor dos direitos das mulheres no Irã, o jogador iraniano Amir Nasr-Azadani recebeu sentença de mort...

 

Por participar de uma manifestação a favor dos direitos das mulheres no Irã, o jogador iraniano Amir Nasr-Azadani recebeu sentença de morte. O protesto ocorreu após a morte de Mahsa Amini e nele três policiais morreram.

Além do jogador, mais oito pessoas são acusadas pela morte dos policiais, que ocorreram no último 25 de novembro. O governo iraniano acusa o atleta de participar de grupo armado que tem como objetivo atacar a República Islâmica do Irã.

A notícia causou forte comoção no meio do futebol e inúmeras personalidades árabes do esporte pediram que Azadani seja liberto. O FIFPro, sindicato dos jogadores profissionais de futebol publicou uma nota na qual se diz chocado com essa situação e exige a anulação imediata da decisão.

FIFPRO Amir Nasr-Azadani Foto: Reprodução/Twitter

Mahsa Amini foi presa em 13 de setembro pela polícia iraniana, sob acusação de ferir o código de vestimenta para mulheres. Ela teria deixado uma mecha do cabelo aparecer. A moça entrou em coma e morreu, misteriosamente, três dias após sua prisão, aos 22 anos.

O governo do Irã afirma que Mahsa morreu em razão de uma doença, o que a família nega e enfatiza que ela foi submetida a espancamento. O caso veio à tona e causou grande comoção no país, dando início a diversos protestos contra a falta de direitos tanto das mulheres quanto dos homens, em geral.

Proibidas de frequentar estádios em seu país, torcedoras iranianas utilizaram suas presenças nas arquibancadas, durante a Copa do Catar, para clamar por liberdade.