Page Nav

HIDE

Anitta alfineta Zé Neto após a “CPI do sertanejo” tomar conta da web

  Anitta rompeu o silêncio e decidiu responder as críticas feitas pelo cantor Zé Neto, dupla de Cristiano, durante show em Sorriso (MT), no ...

 

Anitta rompeu o silêncio e decidiu responder as críticas feitas pelo cantor Zé Neto, dupla de Cristiano, durante show em Sorriso (MT), no dia 12 de maio. A funkeira alfinetou o artista após a repercussão das falas dele impulsionarem internautas a criarem o movimento “CPI do sertanejo”, que motivou investigações do Ministério Público sobre shows pagos por prefeituras, ou seja, com dinheiro público, e já resultou em cancelamentos de apresentações de Gusttavo Lima e Bruno & Marrone.

Na noite desse sábado (28/5), Anitta debochou da situação em seu perfil oficial no Twitter. “E eu achando que estava fazendo só uma tatuagem no ‘tororó'”, escreveu no post que já conta com quase 200 mil curtidas.

Entenda o caso

Tudo começou quando Zé Neto criticou Anitta e a Lei Rouanet no palco de um show. “Estamos aqui em Sorriso, no Mato Grosso, um dos estados que sustentaram o Brasil durante a pandemia. Nós somos artistas e não dependemos de Lei Rouanet, nosso cachê quem paga é o povo. A gente não precisa fazer tatuagem no ‘toba’ para mostrar se a gente está bem ou não. A gente simplesmente vem aqui e canta e o Brasil inteiro canta com a gente”, afirmou o cantor, em vídeo que viralizou no Twitter e foi condenado por fãs da artista internacional, que já declarou ter feito uma tatuagem no #.

Com a repercussão, internautas passaram a vasculhar a vida da dupla e descobriram que o próprio show no qual Zé Neto criticou a política cultural foi pago com recursos públicos. De acordo com o Portal da Transparência da prefeitura de Sorriso, é possível verificar que houve uma inexigibilidade de licitação, o que significa que não houve concorrência para a contratação do serviço. Ainda de acordo com o documento, Zé Neto e Cristiano teriam recebido R$ 400 mil, o maior cachê entre todos os artistas que se apresentaram na Exporriso, evento gratuito para a população.

Respingou no Gusttavo Lima

O Ministério Público de Roraima (MPRR) investiga a contratação do Gusttavo Lima pela prefeitura de São Luiz por R$ 800 mil. O órgão solicita, por meio da Promotoria de São Luiz, informações do município sobre como os recursos foram arrecadados e também se haverá retorno para os moradores. A cidade tem cerca de 8 mil habitantes, logo, cada munícipe (entre crianças e adultos) pagou R$ 100 pelo show, que deve ocorrer na 24ª edição da vaquejada na cidade, em dezembro deste ano.

Na sexta (27/5), outro show do Embaixador passou a ser investigado pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). A apuração preliminar trata da contratação de um show de Gusttavo Lima no valor de R$ 1,2 milhão pela prefeitura da cidade de Conceição do Mato Dentro (MG).
Após a polêmica, o prefeito de Conceição do Mato Dentro (MG), José Fernando Aparecido de Oliveira, conhecido como Zé Fernando, anunciou o cancelamento do show do cantor Gusttavo Lima e Bruno & Marrone na cidade. Mesmo assim, a cidade precisará desembolsar o valor milionário para pagar o esposo da influenciadora Andressa Suita. Isso porque o contrato firmado entre a prefeitura e o Embaixador, como o artista é conhecido, previa R$ 600 mil no ato da assinatura, que já foi pago, e uma multa em caso de cancelamento, de 50% do valor global.

Metrópoles