Page Nav

HIDE

População do Riacho Fundo II ganha uma UPA

  Foi entregue nesta quinta-feira (18) a quarta das sete Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) construídas pelo Governo do Distrito Federal ...

 

Foi entregue nesta quinta-feira (18) a quarta das sete Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) construídas pelo Governo do Distrito Federal (GDF). O novo serviço de emergência em saúde está localizado no Riacho Fundo II, na QN 31, conjunto 3, lote 1.

Todas as UPAs estão sob a administração do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF) | Fotos: Renato Alves/Agência Brasília

Assim como as outras três unidades (Ceilândia, Paranoá e Gama), a do Riacho Fundo II também terá capacidade de 4,5 mil atendimentos por mês. O investimento do GDF foi de R$ 6,5 milhões. Todas as UPAs estão sob a administração do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF).

“Governo é para atender a população. Fizemos a escolha das UPAs de forma pensada, para criar uma base de atendimento à população. Fomos nos locais onde não havia o atendimento. Aqui, são milhares de pessoas que vão deixar de andar quilômetros para buscar atendimento e em outras cidades para serem atendidos aqui”, destaca o governador Ibaneis Rocha.

Para atender a população 24h por dia, foram contratados 146 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos e outros colaboradores. “Esse equipamento auxilia e aproxima a saúde da população. Uma UPA que atende urgência e emergência ajuda a desafogar os hospitais, e ela chega com a farmácia abastecida, equipamentos e profissionais. A cobertura de atendimento no território se aproxima dos 90%”, aponta o secretário de Saúde, Manoel Pafiadache.

Sobre a UPA

A UPA possui uma área de 1,2 mil metros quadrados e conta com dois leitos de atendimento crítico emergencial na sala vermelha; seis leitos de observação e um leito de isolamento na sala amarela; dez poltronas de medicação/inalação e reidratação na sala verde; e três consultórios, além de sala para classificação de risco. A unidade também conta com internet gratuita pelo Wi-Fi social, projeto da Secretaria de Ciência e Tecnologia.

“Essas UPAs foram construídas em plena pandemia e, mesmo diante de tantas dificuldades, inclusive de falta de material, elas foram entregues e vão oferecer um bom serviço à população”, pontua o diretor-presidente do Iges-DF, Gislei Morais.

Para atender a população 24h por dia, foram contratados 146 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos e outros colaboradores. “Esse equipamento auxilia e aproxima a saúde da população

O Iges-DF equipou a unidade para realizar exames laboratoriais de urgência, eletrocardiografia e raio-X. O equipamento de raio-X e o laboratório não são obrigatório nas UPAs, conforme normatização do Ministério da Saúde, mas o instituto decidiu oferecer mais esses serviços.

Morador do Riacho Fundo II, o bombeiro militar Pedro Henrique de Lima Carlos, de 29 anos, comemora a chegada do equipamento público. “Acho excelente, pois nós que trabalhamos na área da saúde sabemos a importante de uma UPA, principalmente por estar perto de casa”, diz.

Mais investimentos

O governo tem investido em outras estruturas para a população do Riacho Fundo II e região. Uma das obras em andamento é a do viaduto que corta o Recanto das Emas e o Riacho Fundo II, na DF-001.

Também foi entregue uma Unidade Básica de Saúde (UBS), onde foram aplicados R$ 8,2 milhões em uma grande estrutura capaz de atender 28 mil pessoas com sete equipes da saúde é um número ainda maior se ampliado o número de equipes.

“Estamos transformando uma cidade-dormitório, que não tinha nada, em cidade-moradia. O viaduto, por exemplo, era esperado há 20 anos”, afirma Ibaneis Rocha. “Há mais de duas décadas o Riacho Fundo II esperava por esses equipamentos. O Riacho Fundo II era esquecido, conhecido como cidade-dormitório. E agora ganhou escolas e equipamentos de saúde”, acrescenta a administradora Ana Maria da Silva.

Investimentos em torno de R$ 1 milhão estão sendo feitos no reforço da iluminação pública. A população do Riacho Fundo II também vai contar com a liberação de meio milhão de reais destinados à administração regional para obras de manutenção.

*IAN FERRAZ, DA AGENCIA BRASÍLIA I EDIÇÃO: CAROLINA JARDON

Nenhum comentário