Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Publicidade abaixo de destaque

Idosa tem três dedos amputados após reação rara à Covid-19

Em rara reação à Covid-19, uma idosa de 86 anos precisou ter três dedos amputados após os membros ficarem necrosados, em decorrência do víru...



Em rara reação à Covid-19, uma idosa de 86 anos precisou ter três dedos amputados após os membros ficarem necrosados, em decorrência do vírus. Em seu relatório, os médicos Giuseppe P. Martino e Giuseppina Bitti se referiram à enfermidade como um caso de “dedos covidais” e uma “manifestação vascular severa”. As informações são do jornal Extra.

A idosa testou positivo para o coronavírus após uma ida ao hospital na Itália, ainda durante a primeira onda do vírus, em abril de 2020. Após a reação, os médicos a diagnosticaram com gangrena seca ou necrose, quando há a perda de suprimento sanguíneo, fazendo com que o tecido corporal morra e adquira uma coloração escura. Os profissionais de saúde decidiram pela amputação, a fim de evitar complicações futuras.

A paciente italiana relatou aos médicos que, um mês antes da infecção por Covid-19, ela sofreu uma síndrome coronariana aguda, em que o sangue enviado ao músculo cardíaco é repentinamente bloqueado. Ela chegou a receber prescrição de terapia antiplaquetária dupla para a prevenção de uma coagulação sanguínea. Contudo, novos testes revelaram que o vírus da Covid foi o responsável por causar um bloqueio no fluxo sanguíneo para os seus dedos, causando a necrose.

DOENÇA VASCULAR
Estudos apontam que o novo coronavírus não é apenas uma doença respiratória, mas também vascular. Uma pesquisa realizada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) revelou que pacientes mortos em decorrência da Covid-19 apresentavam lesões na célula que reveste o vaso sanguíneo. A complicação pode ocasionar trombos e levar a óbito.

Em dezembro do ano passado, um morador de Bournemouth, Inglaterra, também precisou ter um membro amputado após complicações do vírus. Lee Mabbatt teve a perna removida depois de desenvolver um coágulo sanguíneo com risco de vida.

Nenhum comentário

Publicidade rodapé