Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Publicidade abaixo de destaque

Ibope: Russomanno tem 26% e Covas 21% em pesquisa para prefeito de SP

Desde os anos 90, esta é a primeira eleição municipal em que o PT larga no mesmo patamar dos chamados "nanicos". I O deputado fede...



Desde os anos 90, esta é a primeira eleição municipal em que o PT larga no mesmo patamar dos chamados "nanicos".
I
O deputado federal e apresentador de televisão Celso Russomanno, do partido Republicanos, tem 26% das intenções de votos na disputa pela Prefeitura de São Paulo, revela a primeira da série de pesquisas Ibope/Estadão/TV Globo. Ele é seguido pelo atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), com 21%, Guilherme Boulos (PSOL), com 8%, e Marcio França (PSB), com 7%.

  
 
Como a margem de erro máxima da pesquisa é de três pontos porcentuais para mais ou para menos, Russomanno e Covas estão empatados tecnicamente. O mesmo acontece na terceira colocação, entre Boulos e França.

O restante dos candidatos teve desempenho bem inferior aos do primeiro bloco. A candidata Vera, do PSTU, foi citada por 2% dos entrevistados. Jilmar Tatto (PT), Joice Hasselmann (PSL), Andrea Matarazzo (PSD), Orlando Silva (PCdoB), Antônio Carlos (PCO), Levy Fidelix (PRTB), Arthur do Val (Patriota) e Marina Helou (REDE) tiveram apenas 1%. O candidato, do Novo, Filipe Sabará, não alcançou 1% das intenções de voto.

Desde os anos 90, esta é a primeira eleição municipal em que o PT larga no mesmo patamar dos chamados "nanicos", e com risco de perder para o PSOL a liderança entre os simpatizantes da esquerda.

Um em cada cinco eleitores pretendem votar em branco ou nulo, e 8% estão indecisos. Todos os números se referem à pesquisa estimulada, aquela em que o entrevistado anuncia sua escolha depois de receber um disco com os nomes dos candidatos.

Em relação à pesquisa Ibope divulgada no dia 20 de setembro, feita a pedido da Associação Comercial de São Paulo e em parceria com o Estadão, tanto Russomanno quanto Covas tiveram oscilação positiva, de dois e três pontos porcentuais, respectivamente. Boulos manteve a taxa, e França passou de 6% para 7%.

Russomanno e Covas são também líderes no quesito rejeição: 31% e 27%, respectivamente, afirmam que não votariam neles de jeito nenhum.

A pesquisa foi realizada entre os dias 30 de setembro e 1 de outubro, com 805 pessoas. As entrevistas foram feitas de forma presencial. Por causa da pandemia, a equipe de entrevistadores usou equipamentos de proteção para garantia da própria saúde e também a dos eleitores. O é registro da pesquisa no TRE-SP é o SP-09520/2020.

 POR ESTADAO CONTEUDO

Nenhum comentário

Publicidade rodapé