Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Nikolas Ferreira expõe ‘mentira’ de Doria sobre eficácia da CoronaVac

 


Nesta quarta-feira (25), o vereador Nikolas Ferreira, de Belo Horizonte (MG), publicou um vídeo em suas redes sociais para “desmascarar” o governador de São Paulo, João Doria, por “mentir” sobre a eficácia da CoronaVac.

A publicação foi feita após as notícias recentes de pessoas que foram vacinadas com as duas doses do imunizante contra a Covid-19, mas que acabaram morrendo.

Nikolas começou o vídeo usando como exemplo um exame feito pelo pai de um amigo, vacinado com duas doses da CoronaVac.

– Recebi uma denúncia de uma amigo meu, [de] que seu pai tomou duas doses da CoronaVac. Depois disso, ele fez um teste, como muitas pessoas, para ver se de fato estava imunizado […] [Deu:] Não reagente inferior a 20. O que isso significa? Resultado não reagente indica a ausência de anticorpos neutralizantes – apontou.

O vereador, então, mostrou preocupação com pessoas que acham que estão protegidas contra a Covid-19.

– Ou seja, a diferença dele, que tomou a vacina, para quem não tomou é a mesma. Não gerou nenhum tipo de imunidade. O que isso quer dizer? Estão mentindo para a população brasileira. Quantas pessoas acham que estão protegidas, mas, na verdade, não estão protegidas porcaria nenhuma? – questionou.

Na sequência, o vereador exibiu o resultado do teste feito pela mãe do seu amigo, que tomou a vacina da Astrazeneca e teve 85% de reagentes.

Nikolas Ferreira também resgatou declarações de Doria falando que a CoronaVac possuía “eficácia de 78% a 100% contra a Covid-19.

– Quando o pessoal fala “nossa, quero tomar essa, e não aquela”, é um direito das pessoas, porque estão mentindo para você […] Na verdade o que a gente vê é esse resultado. E imagina se o Bolsonaro não tivesse comprado ainda a CoronaVac. Estariam destruindo toda a imagem do governo dele. Agora, a gente vê que mais uma vez, além do presidente estar certo, a verdade prevalece – concluiu.

Postar um comentário

0 Comentários

Páginas