Page Nav

HIDE

Saiba quem é a mulher presa na operação contra vandalismo

  Uma das pessoas presas na operação realizada, nesta quinta-feira (29), pela Polícia Federal (PF) e pela Polícia Civil do Distrito Federal ...

 

Uma das pessoas presas na operação realizada, nesta quinta-feira (29), pela Polícia Federal (PF) e pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) contra os atos de vandalismo realizados em Brasília no último dia 12 de dezembro é Klio Hirano. Ela possui em suas redes sociais algumas publicações em frente ao Quartel-General do Exército, na capital federal.

Klio é filha de Eizi Hirano, fotógrafo conhecido no Brasil. Ela participou, em 2016, do acampamento que durou seis meses na Avenida Paulista, em São Paulo, e que pedia o impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT). Hirano também é uma das embaixadoras do movimento Avança Brasil.


Em 2020, Hirano chegou a concorrer ao cargo de prefeita na cidade de Tupã, no interior de São Paulo, mas terminou a disputa com apenas 364 votos. A ex-candidata a prefeita está acampada em Brasília desde meados de novembro e, no último dia 12, teria feito parte do grupo que tentou invadir a sede da PF após a prisão do cacique Serere Xavante.

SOBRE A OPERAÇÃO
A Polícial Federal (PF) e a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) realizam nesta quinta-feira (29) uma operação contra suspeitos de terem participado da tentativa de invasão à sede da Polícia Federal, em Brasília, e de terem praticado atos de vandalismo na capital federal no último dia 12 de dezembro. Ao todo, os agentes cumprem 32 mandados de busca, apreensão e prisão.

As ordens judiciais foram expedidas pelo (STF) e são cumpridas no Distrito Federal e nos seguintes estados: Rondônia, Pará, Mato Grosso, Tocantins, Ceará, São Paulo e Rio de Janeiro. Até 7h30, três pessoas já tinham sido presas. São elas: Klio Damião Hirano, Joel Pires Santana e Átila Melo.

Uma das prisões, a de Klio Hirano, aconteceu em Brasília. Ela aparece em um vídeo em frente à sede da Polícia Federal no dia da tentativa de invasão ao prédio da corporação. No Rio de Janeiro, a pessoa detida foi identificada como Átila Reginaldo Franco de Melo, que foi preso no município de São Gonçalo.

Por: Pleno.News