Page Nav

HIDE

“É a Cara do Véio”: Concurso elege sósia de Luciano Hang

  Nesta terça-feira (5), o programa  SC Acontece , da TV Barriga Verde, afiliada à Band, em Santa Catarina, divulgou o vencedor do concurso ...

 

Nesta terça-feira (5), o programa SC Acontece, da TV Barriga Verde, afiliada à Band, em Santa Catarina, divulgou o vencedor do concurso É a Cara do Véio, que elegeu o sósia do empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan. O campeão foi Sandro Darolt, de Laurentino (SC).

Sandro disputou a final junto com mais dois candidatos. O segundo lugar ficou com Adão Cordeiro, de Jaraguá do Sul, e na terceira posição, João Carlos, de São José.

O concurso iniciou no fim de maio e os ganhadores foram conhecidos no palco do programa, ao vivo, com a presença de Luciano Hang, e anunciado também por meio de uma transmissão online nas redes sociais do empresário de Brusque (SC).

– Quero parabenizar a TV Barriga Verde pelo concurso e por essa ideia que teve notoriedade nacional. Uma brincadeira saudável que passa um pouco dessa energia, entusiasmo e vontade de viver que temos. Todos os finalistas são muito parecidos e acho que o mais importante não é o que somos por fora, mas o que temos por dentro – comentou Luciano Hang.

O empresário agradeceu ainda a todos os mais de 100 candidatos que se inscreveram para participar do concurso.

– Não esperava tantos candidatos assim e fiquei muito feliz com o resultado. Acho que o principal disso tudo é podermos levar para as pessoas sempre uma mensagem de otimismo – completou.

VENCEDOR MOBILIZOU A CIDADE
Sandro Darolt, vencedor do concurso, fez grande mobilização na cidade em que mora, Laurentino (SC), no Alto Vale catarinense, a qual rendeu 22.883 votos, dando a ele o título de sósia de Luciano Hang, em Santa Catarina.

Ele também usou as redes sociais para pedir voto às pessoas por meio de vídeos em que imita o empresário na visita na loja Havan de Rio do Sul (SC).

Darolt é casado, pai de um filho, técnico eletrônico e repórter locutor em uma rádio comunitária da sua cidade. Para ficar mais parecido com o empresário brusquense, ele emagreceu 10 quilos em 22 dias.

– Parei de tomar bebida alcoólica e de comer pão. Fazia uma hora de esteira todos os dias em frente à TV assistindo vídeos do Luciano Hang para pegar as falas e jeitos. E agora, pretendo emagrecer mais oito quilos, que foi o que ele perdeu também, para ficar ainda mais parecido – contou o vencedor.

A admiração por Luciano Hang veio assim que o empresário começou a aparecer na televisão e redes sociais, em 2018.

– Sempre assisto aos vídeos de motivação dele e de política, porque é um assunto que também gosto e ele é um espelho de cidadão brasileiro para todos nós – disse.

Durante as saídas para imitar o “Véio da Havan”, Sandro presenciou a reação dos fãs do empresário.

– Senti na pele o carinho e respeito que as pessoas têm por ele. Tinha gente que chegava a tremer, outras choraram para tirar uma foto. Isso é muito gostoso e gratificante. Se eu tinha orgulho por ele, agora mesmo aumentou ainda mais – declarou.

Retornando a Laurentino, Darolt diz que a primeira ação será agradecer a todos que votaram nele.

– Foi uma votação expressiva e preciso retribuir isso aos que acreditaram em mim – afirmou com satisfação.

PREMIAÇÃO
Os critérios avaliados para a escolha do finalista foram a aparência física, roupas, modo de falar, entre outros quesitos. Os candidatos precisaram gravar vídeos, que foram avaliados por uma comissão julgadora formada pela Band de SC e também por um dos filhos do empresário, Lucas Hang.

Durante a revelação do vencedor, Luciano Hang fez uma surpresa aos participantes e dobrou os valores do prêmio. Sendo assim, o terceiro lugar levou R$ 2 mil em vale-compras Havan, o segundo lugar, R$ 3 mil, e o campeão, R$ 6 mil.

Eles também ganharam troféus de participação e, ainda, os três passarão um dia com Hang, onde conhecerão o Triângulo das Bermudas Havan, que é o Centro Administrativo e Loja Matriz, em Brusque (SC), e o Centro de Distribuição, em Barra Velha (SC). Por fim, terão um almoço especial na Casa Renaux, propriedade centenária e histórica pertencente ao empresário.