Page Nav

HIDE

Eleições: Ao menos 11 ministros devem deixar o governo até abril

  Fato bastante comum em ano de eleição presidencial, a saída de ministros para a participação nas eleições de 2022 deve alcançar praticamen...

 

Fato bastante comum em ano de eleição presidencial, a saída de ministros para a participação nas eleições de 2022 deve alcançar praticamente a metade dos ministérios do governo federal. De acordo com um levantamento divulgado pelo portal R7, 11 chefes de pastas federais já seriam nomes certos para deixar a gestão Bolsonaro até abril, prazo determinado pelas regras eleitorais.

O objetivo do presidente Jair Bolsonaro é conseguir eleger o maior número possível de senadores e formar uma base de apoio no Senado, casa onde sofre maior resistência, para um eventual segundo mandato. A renovação do Senado em 2022 será de um terço, com a eleição de um representante por unidade da federação.

Confira abaixo a lista divulgada pelo R7 de quais ministros devem deixar as atuais pastas e a quais cargos eles devem concorrer no próximo ano:

1 – Agricultura, Pecuária e Abastecimento: Tereza Cristina, que está em seu último ano de mandato como deputada federal (DEM-MS), confirmou que deixará a pasta para renovar o seu mandato de deputada ou tentar uma vaga no Senado.

2 – Justiça e Segurança Pública: Anderson Torres, que entrou no lugar de André Mendonça, deve disputar uma vaga no Senado pelo União Brasil, pelo DF. Hoje ele é filiado ao PSL.

3 – Casa Civil: Ciro Nogueira (PP) cumpre seu último ano de mandato como senador pelo Piauí em 2022. Ele deve deixar o governo para se candidatar à reeleição ao Senado.

4 – Infraestrutura: Tarcísio de Freitas será candidato, mas ainda não está definido se ele concorrerá ao governo de São Paulo, ao Senado ou à Câmara pelo estado de Goiás.

5 – Cidadania: João Roma (Republicanos-BA), que está em seu último ano de mandato como deputado federal, tem planos de disputar o governo da Bahia.

6 – Comunicações: Fábio Faria (PSD-RN) termina o seu mandato de deputado federal em 2022. Na janela partidária, ele vai se filiar ao PP e deve disputar uma vaga no Senado pelo seu estado.

7 – Ciência, Tecnologia e Inovação: Marcos Pontes é considerado o plano B do presidente Jair Bolsonaro para a disputa ao governo de São Paulo, no caso de Tarcísio disputar mesmo o Senado.

8 – Desenvolvimento Regional: Rogério Marinho deve deixar o cargo para disputar uma vaga no Congresso. Ele já foi deputado federal por três mandatos e tem o desejo de ser senador. O conflito reside no fato de que ele disputaria a mesma vaga que seu colega Fábio Faria, já que os dois são do Rio Grande do Norte.

9 – Secretaria de Governo: Flávia Arruda (PL-DF) já bateu o martelo e disputará uma vaga no Senado pelo Distrito Federal. Ela tem o apoio do Palácio do Planalto e do governador do DF, Ibaneis Rocha.

10) Turismo: Gilson Machado deve sair candidato, mas ainda não há definição sobre qual vaga ele disputará.

11) Trabalho: Onyx Lorenzoni deve disputar o governo do Rio Grande do Sul.

Por: Pleno.News