Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Publicidade abaixo de destaque

Pesquisa: Jair Bolsonaro avança rumo à reeleição em 2022

A rodada de maio da pesquisa XP/Ipespe, divulgada nesta terça-feira (11), mostra que a rejeição governo do presidente Jair Bolsonaro tem dim...



A rodada de maio da pesquisa XP/Ipespe, divulgada nesta terça-feira (11), mostra que a rejeição governo do presidente Jair Bolsonaro tem diminuído. Na prática, os índices de aprovação do governo oscilaram dentro da margem de erro, na comparação com os dados de março, mas a gestão vinha perdendo aprovação desde dezembro.
De acordo com o levantamento, o índice de quem considera o governo ótimo ou bom foi de 27% para 29%, enquanto o total de pessoas que o consideram ruim ou péssimo oscilou de 48% para 49%. Já o índice de quem considera o governo regular foi de 24% para 20%. A pesquisa incluiu 1 mil entrevistas, realizadas em todo o país, entre os dias 4 e 7 de maio. A margem de erro é de até 3,2 pontos.

– Interrompe-se a tendência de queda das curvas de avaliação e de aprovação do governo Bolsonaro, o que também se reflete nas suas intenções de voto nos diversos cenários pesquisados – afirmou o cientista político Antônio Lavareda, presidente do Conselho Científico do Ipespe, por meio de nota.

Segundo ele, isso é reflexo sobretudo da volta do auxílio emergencial. Outros indicadores ajudam a demonstrar o “arrefecimento na avaliação negativa sobre ações do governo”.

O levantamento mostra que subiu de 23% para 26% o total de entrevistados que acreditam que a economia “está no caminho certo”; para 63% (ante 65% em março) que avaliam que a economia “está no caminho errado”. Na mesma linha, oscilou de 21% para 22%, o total de pessoas que definem como “ótima ou boa” a ação de Bolsonaro para combater o coronavírus.

ELEIÇÕES
No que diz respeito aos índices de intenção de voto, o cenário também apresenta ligeira melhora para o presidente. Na pesquisa estimulada, ele oscilou um ponto para cima e agora aparece empatado com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no primeiro turno em 29%. Na sequência aparecem Ciro Gomes (PDT), com 9%; Sérgio Moro (sem partido), com 8%; Luciano Huck (sem partido), com 5%; Luiz Henrique Mandetta (DEM) e João Doria (PSDB), ambos com 3%, e Guilherme Boulos (PSOL), com 2%.

Não responderam, não sabem em quem votar, vão votar em branco ou vão anular o voto equivalem a 14% dos entrevistados. Em relação ao segundo turno, Lula e Bolsonaro seguem em empate técnico: o petista manteve 42%, mesmo índice de março, e Bolsonaro oscilou de 38% para 40%.

*Estadão

Um comentário

Publicidade rodapé