Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Publicidade abaixo de destaque

Borderline: entenda transtorno que atinge Raissa do reality A Fazenda

A modelo teve um surto de raiva ao ser indicada pela primeira vez ao "paredão" do programa O comportamento explosivo da ex-vice-Mi...



A modelo teve um surto de raiva ao ser indicada pela primeira vez ao "paredão" do programa

O comportamento explosivo da ex-vice-Miss Bumbum Raissa Barbosa no reality show A Fazenda vem chamando a atenção do público. Na semana passada, ao ser indicada para o “paredão” do programa, ela perdeu a paciência, socou um travesseiro e jogou um copo de água no cantor Biel. Na sequência, um comunicado feito pela equipe da modelo informou que ela sofre da síndrome de Borderline.


Também conhecida como Transtorno de Personalidade Limítrofe, a síndrome é mais comum do que se imagina, de acordo com a psicóloga Gabriella Ciardullo, da clínica Biotipo. “A característica é exatamente um padrão de comportamento exaltado, com alterações intensas de humor, que são desencadeadas por algumas situações específicas”, relata.

Segundo a psicóloga, pacientes com o problema costumam apresentar comportamentos compulsivos ou agressivos. Também passam por situações de irritabilidade, isolamento, ansiedade e culpa. Em casos mais graves, podem ocorrer episódios de auto mutilação, depressão e paranoias.

Apesar do comportamento de Raissa ter correspondido às características de quem apresenta a síndrome, Gabriella avalia que o diagnóstico não pode ser feito partindo de um ato isolado. “Somente com o que houve dentro da casa, não é possível diagnosticá-la. Alguns comportamentos de raiva e descontentamento muito intensos, mas que ocorrem de forma isolada, não necessariamente definem um transtorno”, explica.


O tratamento dos pacientes que sofrem com o problema deve ser multidisciplinar, unindo medicação psiquiátrica, terapia cognitivo comportamental e terapia dialética. O objetivo é conseguir que o paciente aprenda a enfrentar situações de maneira mais adequada. “Em alguns casos mais graves, é possível que haja a necessidade de internação”, relata a psicóloga.



A principal diferença está na duração dos episódios de variação de humor. O transtorno bipolar se caracteriza por uma duração mais longa entre as fases de depressão e mania. No comportamento borderline, essa variação acontece de um dia para outro ou até em horas a depender do estímulo.


“O diagnóstico é delicado e precisa ser muito bem avaliado, pois é comum que as pessoas confundam o transtorno com algumas denominações do senso comum na intenção de desvalorizar e julgar o indivíduo”, acrescenta Gabriella.

Por Metrópoles

Nenhum comentário

Publicidade rodapé