Page Nav

HIDE

Mãe de Leandro Lo diz que policial já conhecia o atleta

  Fátima Lo, mãe do campeão de jiu-jítsu Leandro Lo,  morto após se baleado na cabeça , declarou que o autor do disparo, o policial militar ...

 

Fátima Lo, mãe do campeão de jiu-jítsu Leandro Lo, morto após se baleado na cabeça, declarou que o autor do disparo, o policial militar Henrique Otávio Oliveira Velozo, conhecia seu filho. De acordo com ela, o acusado também fazia parte do universo da arte marcial e teria premeditado matar o atleta.

– Ele [Leandro] era lutador na vida, nos tatames ele só trouxe alegria para a gente. Muito preocupado com a família. Ele era a alegria em pessoa e uma pessoa que fez isso com ele… E a pessoa conhecia ele, porque era do jiu-jítsu também, e acabou acontecendo. A pessoa já foi para isso, com certeza já foi pra isso, só que a gente não sabe o porquê – disse à TV Globo, em frente ao cemitério onde o corpo do atleta é velado, nesta segunda-feira (8), na Zona Sul de São Paulo.

O enterro será nesta tarde. Nas redes sociais, Fátima prestou uma homenagem ao filho com uma ilustração do lutador subindo ao céu.

– Meu herói, lindo da mãe! Você foi um presente de Deus na minha vida. Vou sentir tanto sua falta, tá faltando um pedaço de mim. Te amo eternamente, filho amado. Guardarei as lembranças boas que foram muitas. Você fazia eu me sentir a mãe mais amada do mundo. Muito obrigada pelo seu amor, seu cuidado. Te amo muito, saudade eterna – escreveu no Instagram.

RELEMBRE O CASO
O policial militar de 30 anos é acusado de atirar na cabeça de Lo, de 33, após uma discussão durante um show no Esporte Clube Sírio, no bairro de Indianópolis, Zona Sul de São Paulo. No documento enviado à Justiça, a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo define o PM como “autor do homicídio”.

Testemunhas presentes no local alegam que o lutador teve uma discussão com o PM. Para acalmar a situação, Lo, que é multicampeão da arte suave, imobilizou o homem que, após se afastar, sacou uma arma e atirou uma vez na cabeça do lutador.

Após o disparo, o agressor ainda teria desferido dois chutes em Leandro, que já estava no chão e inconsciente. Em seguida, o criminoso fugiu.

Na noite deste domingo (7), Henrique Otávio Oliveira Velozo se entregou à corregedoria da Polícia Militar após a Justiça estadual ter determinado sua prisão temporária por 30 dias. Ele encontra-se detido no presídio militar Romão Gomes, na Zona Norte de São Paulo.

Por: Pleno.News