Page Nav

HIDE

Polícia encontra corpos de mãe e filha que estavam desaparecidas no DF

  Segundo delegado Vander Braga, da 23ª DP, cadáveres estavam perto de cachoeira, cobertos com folhas. '90% de chances de ser homicídio&...

 

Segundo delegado Vander Braga, da 23ª DP, cadáveres estavam perto de cachoeira, cobertos com folhas. '90% de chances de ser homicídio', diz policial.

Mãe e filha desapareceram após saírem para tomar banho em córrego do Sol Nascente, no DF — Foto: Arquivo pessoal
Mãe e filha desapareceram após saírem para tomar banho em córrego do Sol Nascente, no DF — Foto: Arquivo pessoal
A Polícia Civil do Distrito Federal encontrou, na tarde desta segunda-feira (20), os corpos de mãe e filha desaparecidas na região do Sol Nascente na tarde de 9 de dezembro. Segundo o delegado Vander Braga, da 23ª DP, de Ceilândia, os cadáveres estavam perto de uma cachoeira, cobertos com folhas.
"Há 90% de chances de ser homicídio", diz delegado.
Shirlene Cristina Silva Batista, de 38 anos, e Tauane Rebeca da Silva, de 14 anos, saíram de casa para tomar banho em um córrego e não foram mais vistas. Shirlene estava grávida, de quatro meses.
O Corpo de Bombeiros e a Polícia Civil fizeram buscas, por mais de uma semana na região, com a ajuda de cães farejadores e um helicóptero. A polícia chegou a falar em crime, mas também não descartava a possibilidade de mãe e filha terem ido embora do Distrito Federal.
A família, no entanto, não acreditava nessa hipótese. Nesta terça, a irmã de Shirlene, Shirley Vieira da Silva, que insistia nas buscas na região, que é considerada perigosa, confirmou que os corpos são de mãe e filha e que elas não morreram afogadas.
"A gente não sabe de nada, só que foi crime. Os corpos estavam enterrados e como choveu a terra soltou", disse Shirley.