Page Nav

HIDE

“Ônibus estava atrasado, correndo muito”, diz sobrevivente de acidente

  A professora Tércia Euclídes, de 41 anos, é uma das sobreviventes do  acidente  de ônibus que matou cinco pessoas, deixou vários feridos  ...

 

A professora Tércia Euclídes, de 41 anos, é uma das sobreviventes do acidente de ônibus que matou cinco pessoas, deixou vários feridos e bloqueou a BR-153, em Aparecida de Goiânia, na madrugada desta sexta-feira (24/12). Ela contou ao Metrópoles que o ônibus estava 2h atrasado e correndo bastante.

“Peguei o ônibus em Caldas Novas e ia para Brasília passar Natal com a minha mãe. Eu lembro que ônibus atrasou e estava andando muito rápido. Eu não consegui dormir, porque fiquei com medo. Eu vinha rezando e aí, de repente, só vi a batida, o ônibus capotou e caiu na ribanceira”, relata.

Atraso

Segundo a professora, estava marcado para o ônibus passar em Caldas Novas às 21h30, mas ele só chegou às 23h30. Tércia quebrou três vértebras no acidente e foi levada para o Hospital Estadual de Urgências de Goiânia (Hugo). Após ser imobilizada e atendida na unidade, ela recebeu alta por volta das 11h deste sábado.

Um irmão e uma cunhada dela se deslocaram de Brasília para Goiânia. Eles a colocaram em um carro e a levaram para a casa da mãe, na capital federal.

A professora não fazia a viagem sozinha. Ela estava acompanha de uma sobrinha e do namorado da garota. Os dois saíram sem maiores ferimentos e ajudaram, inclusive, a retirar Tércia do ônibus.

A sobrevivente se recorda que tinha um senhor tentando puxá-la para fora. Ela estava na parte de cima do ônibus. “Engoli muita água e muito barro. Tô muito ruim. Foi um pesadelo”, afirma.

Batida

O veículo da Real Expresso, que seguia de São Paulo (SP) para Brasília (DF), bateu, por volta das 2h, em um caminhão e uma viatura da concessionária que administra o trecho da BR-153, e despencou por uma ribanceira, parando somente no leito do córrego. O local é próximo ao ponto em que o piso da rodovia erodiu no último domingo (19/12), após fortes chuvas.

Metrópoles acompanhou o trabalho da equipe de resgate para içar o ônibus e retirá-lo da água. Os dois sentidos da BR-153 ficaram bloqueados para a operação de retirada do veículo do local.

Feridos

Ao todo, foram 46 envolvidos no acidente: 5 morreram; 27 recusaram atendimento; 14 foram enviados para hospitais com quadros de saúde diferentes.

Parte dos pacientes foi levada para o Hospital Estadual de Urgências de Goiás (Hugo). A unidade informou que recebeu sete pacientes. Dois deles estão no centro cirúrgico, três estão estáveis e passam por avaliação médica e exames e dois já tiveram alta hospitalar.

A Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia informou que a equipe do SAMU atuou no socorro às vítimas do acidente desta madrugada na BR-153. Segundo informações do órgão, pacientes graves foram encaminhados para hospitais da região metropolitana (Heapa, Hugo e Hugol) e três pacientes com quadros leves foram encaminhados à UPA Brasicon. A secretaria informa que esses três pacientes estão bem e já receberam alta.

Veja local onde a pista cedeu:

Desvio

O ônibus da empresa Real Expresso, que fazia a linha de São Paulo para Brasília, caiu em uma ribanceira após colidir com a viatura de inspeção da Concessionária Triunfo Concebra e com um caminhão que seguia no sentido oposto da via.

O acidente ocorreu no km 508 da BR 153, na Região Metropolitana de Goiânia, onde havia um desvio em função de obras decorrentes de problemas estruturais na via. Chovia no momento do acidente, que aconteceu por volta das 2h.

A Polícia Rodoviária Federal está no local para avaliar, junto aos Bombeiros e concessionária, as condições para liberar o trânsito na rodovia. O ônibus será retirado somente na madrugada de sábado, horário de tráfego menos intenso, para que o fluxo seja liberado o quanto antes.

Veja vídeos:

Ainda que a rodovia seja liberada, o trânsito no local continuará intenso e com lentidão. Portanto, a PRF recomenda que os condutores evitem passar por esse trecho da BR, utilizem outras rotas ou mesmo optem por horários de fluxo viário menos intenso.

A empresa responsável pelo ônibus e pela viagem disse que o acidente será investigado. “As causas do acidente serão apuradas em procedimento interno da empresa como também pelas investigações oficiais, e estamos trabalhando em conjunto com as Polícias Rodoviária e Civil para que tudo seja, o quanto antes, esclarecido”, informou a empresa Real Expresso.

Por: Metrópoles