Page Nav

HIDE

Governador Ibaneis Rocha, do DF, declara apoio a Bolsonaro

  O governador reeleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), oficializou nesta quarta-feira (5), o apoio ao presidente Jair Bolsonaro (...

 

O governador reeleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), oficializou nesta quarta-feira (5), o apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno da disputa pelo Palácio do Planalto. Em pronunciamento ao lado do chefe do Executivo, o emedebista disse que foco está em buscar votos da população mais carente.

Vídeo: 

https://www.instagram.com/reel/CjTpHkdJole/?igshid=MDJmNzVkMjY%3D

– É um apoio que vai de coração. Vamos correr às ruas do Distrito Federal com a população, em especial a mais carente, para que consigamos os votos para reeleger o presidente Jair Bolsonaro – pontuou.

E completou:

– Essa é uma parceria efetiva e nós vamos trabalhar muito para reeleger o senhor – disse Ibaneis.

Bolsonaro agradeceu o apoio do governador do DF, chamou Ibaneis de amigo, afirmou que as discordâncias sobre a pandemia são “coisa do passado” e disse que haverá, em um eventual segundo mandato, “harmonia completa” entre Executivo e Legislativo.

– O governador Ibaneis é importante porque ele, por muitas vezes, é meu vice, e por vezes eu sou o vice dele. Buscamos aqui atender aos interesses do DF. Como ele disse, um terço do orçamento dele é do fundo constitucional, dinheiro nosso que vai diretamente para ele e ele investe em saúde, educação e segurança – afirmou o presidente.

Ibaneis, por sua vez, defendeu a atuação de Bolsonaro na crise sanitária.

– Quero deixar bem claro, não faltou recursos da União, do governo federal para que a gente fizesse todo um trabalho de combate à pandemia, hospitais de campanha, compra de vacinas, compras de medicamentos. A gente não tem do que reclamar. O governador que abrir a boca para falar do governo federal no que diz respeito à atuação na pandemia simplesmente não está falando a verdade – declarou.

Nesta terça (4), Bolsonaro recebeu o apoio do governador reeleito de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), do governador reeleito do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), e do governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), que ficou fora do segundo turno no estado, que será disputado entre o ex-ministro Tarcísio de Freitas (Republicanos) e o ex-prefeito Fernando Haddad (PT).

*Com informações da AE