Page Nav

HIDE

Saiba quais os candidatos à Presidência com maior patrimônio, Juntos somam R$ 51,8 milhões

  Requisito necessário para o registro das candidaturas, a declaração de bens dos postulantes deste ano ao cargo de presidente da República ...

 


Requisito necessário para o registro das candidaturas, a declaração de bens dos postulantes deste ano ao cargo de presidente da República revela realidades bem distintas entre os concorrentes. Enquanto o técnico de mecânica Léo Péricles, do Unidade Popular (UP), declarou pouco menos de R$ 200, o candidato do Novo, Felipe D’Ávila, informou ter mais de R$ 24 milhões em bens.

Até esta segunda-feira (4), sete candidatos já registraram oficialmente suas candidaturas na Justiça Eleitoral. Além de Péricles e D’Ávila, também já formalizaram seus registros o ex-presidente Lula (PT); o candidato do PROS, Pablo Marçal; a senadora Simone Tebet (MDB); a representante do PCB, Sofia Manzano; e a candidata do PSTU, Vera Lúcia.

Juntos, os sete somam R$ 51,8 milhões em bens declarados, uma média de R$ 7,4 milhões para cada concorrente ao Planalto. Ainda estão pendentes a apresentação dos registros de candidatura do presidente Jair Bolsonaro (PL), do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB), do ex-governador Ciro Gomes (PDT) e da senadora Soraya Thronicke (União Brasil).

CANDIDATO DO NOVO É O MAIS RICO
No topo da lista entre os mais ricos está Felipe D’Ávila, do Novo, com um total de R$ 24.619.627,66 em recursos apresentados à Justiça Eleitoral. De acordo com o que foi relatado por D’Ávila, a maior parte dos bens é de quotas e quinhões de capital, que totalizam R$ 21 milhões. Entre os outros recursos estão duas casas: uma de R$ 983 mil e outra de R$ 2,365 milhões.

Na sequência, quem aparece na lista dos presidenciáveis com a maior quantia de bens declarados é o coach Pablo Marçal, do PROS. Dos R$ 16.942.541,15 em recursos apresentados por ele, 81% estão em uma categoria discriminada como “outras participações societárias”, o que equivale a R$ 13.712.659,00. Os outros 19% dos bens estão divididos entre itens como imóveis e ações.

LULA DECLARA MAIS DE R$ 7 MILHÕES
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), por sua vez, é terceiro candidato mais rico do pleito presidencial entre aqueles que já registraram candidatura. Ele declarou que seu patrimônio atual é de R$ 7.423.725,78. O valor é cerca de R$ 500 mil menor do que o informado em 2018, quando o petista apresentou R$ 7,9 milhões em bens.

A fortuna de Lula é dividida em aplicações, sendo R$ 5,5 milhões em um fundo de previdência privada e o restante em outros investimentos; dois apartamentos, um de R$ 19,1 mil e um de R$ 94,5 mil, além de dois automóveis, um de R$ 85 mil e o outro de R$ 48,4 mil.

TEBET INFORMA R$ 2,3 MILHÕES EM BENS
A senadora Simone Tebet (MDB), que apresentou o registro de candidatura no sábado (6), informou à Justiça Eleitoral um patrimônio de R$ 2.323.735,38, que inclui sete apartamentos, duas casas e quatro terrenos, além de depósitos bancários em conta corrente no país. O item com maior valor declarado pela senadora foi um terreno de R$ 457 mil.

POSTULANTES DO PCB, PSTU E UP SOMAM POUCO MAIS DE R$ 500 MIL
A candidata do Partido Comunista Brasileiro, Sofia Manzano, informou à Justiça Eleitoral que possui R$ 498 mil em bens. Os valores ficaram divididos em apenas três itens: uma casa de R$ 294 mil, um apartamento de R$ 200 mil, e R$ 4 mil depositados em caderneta de poupança.

Já a concorrente do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU), Vera Lúcia, informou que possui R$ 8.805 depositados em caderneta de poupança. Por fim, o presidenciável que declarou o menor valor em bens entre aqueles que já oficializaram o registro foi o candidato do Unidade Popular, Léo Péricles, que disse ter R$ 197,31 guardados em caderneta de poupança.

No total, os três candidatos dos partidos que não possuem representação no Congresso Nacional têm, juntos, R$ 507 mil em bens declarados, o equivalente a pouco mais de 2% do valor informado por Felipe D’Ávila.

Por: Pleno.News