Page Nav

HIDE

Governador de MG defende indenização a vítimas de acidente em Capitólio, mas diz não saber quem deveria pagar

  O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), defendeu neste domingo (9) uma indenização às vítimas do desabamento de um paredão em Cap...

 

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), defendeu neste domingo (9) uma indenização às vítimas do desabamento de um paredão em Capitólio. Ele disse, no entanto, que não sabe de quem seria a responsabilidade do pagamento.

“Essas vítimas, com toda certeza, têm direito a alguma reparação. Agora, o responsável realmente eu não tenho condição de responder agora. Não sei se ali é de propriedade privada ou não”, afirmou o governador, em entrevista à CNN.

O desabamento de um bloco de pedra deixou ao menos 10 mortos e 32 feridos no sábado (8). O acidente foi registrado em um cânion do lago de Furnas, em Capitólio.

Zema disse não saber se a usina hidrelétrica de Furnas deveria contribuir com a indenização às vítimas. Ele afirmou ainda que, por se tratar de um lago, a área está sob jurisdição da Marinha do Brasil e não do Estado de Minas Gerais. “Há uma série de interrogações que nós ainda temos que responder”, disse, sobre a indenização.

O governador de Minas Gerais também defendeu um estudo geológico das estruturas rochosas de Capitólio. Ele disse que a região recebe milhares de turistas por ano, mas que a atividade turística precisa ser segura.

Na avaliação de Zema, os estudos geológicos poderiam sugerir que a atividade turística no lago de Furnas seja realizada com uma distância segura dos paredões de rocha ou interrompida em períodos chuvosos como o atual.

Em nota, a hidrelétrica de Furnas lamentou e se solidarizou com as vítimas do acidente registrado em Capitólio. Além disso, a empresa afirmou que a gestão do turismo no local é de responsabilidade da Marinha e do poder público local.

Créditos: Poder 360.