Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

CEB-D oferece condições especiais para empresas em débito



Em meio ao agravamento da pandemia, a CEB Distribuição, concessionária ligada à Neoenergia, está oferecendo prazo maior e condições especiais de negociação para empresas dos segmentos comercial e industrial com faturas em aberto.

Embora não haja impedimento para suspender o fornecimento desses clientes com débitos, a distribuidora decidiu conceder prazo de mais uma semana para regularização por parte desses consumidores empresariais.

Tratamento diferenciado

Segundo a CEB-D, a oportunidade tem o intuito de evitar eventuais medidas administrativas como negativação de crédito e, em último caso, o corte do fornecimento.

“Dilatamos o prazo para negociação e estamos oferecendo condições diferenciadas por entender que uma significativa parte do setor econômico teve as atividades afetadas pela crise sanitária”, comenta o diretor-superintendente de Atendimento ao Cliente da CEB-D, Gustavo Alvares Santos.

Acordos a distância ou presenciais

Os acordos podem ser efetuados sem a necessidade de deslocamentos, por meio do site agenciavirtual.ceb.com.br ou pelo teleatendimento gratuito 116.

Em caso de negociação presencial, a empresa disponibiliza as lojas de atendimento situadas no Na Hora. O cliente da CEB Distribuição que está em débito com a companhia deve procurar a empresa o mais breve possível, podendo negociar a dívida à vista ou parcelado usando o aplicativo da companhia, conforme as condições anunciadas.

“Todo nosso esforço é no sentido auxiliar os clientes a evitarem acúmulo de dívidas”, complementa o executivo.

Verificação de débito

Para confirmar se está em dia com a conta de energia, o consumidor pode verificar se há aviso na própria fatura de débitos a serem quitados ou consultar os diversos canais de relacionamento disponibilizados pela empresa como APP, site e telefone 116.

Além das condições diferenciadas de negociação, a CEB-D informou que está investindo na melhoria da infraestrutura elétrica como forma de contribuir com o setor produtivo.

Por AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: ABNOR GONDIM

Postar um comentário

0 Comentários

Páginas