Page Nav

HIDE

“Patriota do caminhão” diz que temeu a morte durante episódio

  O empresário Júnior César Peixoto, que viralizou nas redes sociais após ser carregado na parte externa de um caminhão, relatou nesta segun...

 

O empresário Júnior César Peixoto, que viralizou nas redes sociais após ser carregado na parte externa de um caminhão, relatou nesta segunda-feira (7), que temeu perder a vida naquele dia. Apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL), ele disse à CNN Brasil que foi a um ato contrário ao resultado das urnas na última quarta-feira (2), e decidiu segurar no limpador do para-brisa do veículo quando o motorista começou a avançar sobre o bloqueio. O caso aconteceu em Caruaru (PE)

– Levantei a mão gesticulando para que ele tivesse um pouco mais de paciência. Só que ele não esperou. Ele acelerou e a minha reação foi segurar no limpador do para-brisa dele – afirmou.

Em seguida, segundo descreveu, o veículo ganhou velocidade e seria “fatal” pular antes que ele parasse.

– Na minha cabeça, ali seria o meu fim – disse.

Peixoto calcula que o caminhão tenha chegado a alcançar 100 km/h e que, nos cerca de dez minutos em que ficou agarrado no veículo, seu medo era “não ver mais a sua família”.

O episódio teve grande repercussão – imagens de dentro e de fora do caminhão foram gravadas e viralizaram nas redes, inspirando diversos memes. Em um deles, um usuário do Twitter inseriu áudio de Galvão Bueno narrando a vitória de Ayrton Senna na Fórmula 1.

Na tentativa de aproveitar a repercussão, uma empresa fabricante de brinquedos anunciou a venda de um boneco em miniatura. A Corbe Toys divulgou a iniciativa alegando que seriam poucas unidades, e oferece ainda um “combo” com o patriota e o “fantasma do comunismo”. O kit, dizem os fabricantes, “representa as Eleições Brasileiras de 2022 com os melhores memes”.

No vídeo que circula nas redes, o motorista do caminhão afirma que chegou a parar para o “patriota” descer do veículo. Peixoto, porém, narra que o caminhoneiro freou apenas por alguns instantes e rapidamente voltou a arrancar. Segundo ele, deu tempo apenas de “respirar”, e, como suas pernas estavam trêmulas, não conseguiu sair de onde estava.

– Então a minha reação foi agarrar no mesmo lugar – disse à CNN.

A cantora Daniela Mercury, apoiadora do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ironizou e reproduziu o episódio no trio elétrico de um de seus shows.

*AE