Page Nav

HIDE

Homem que fingiu passar mal para dar calote é proibido de ir a bares

  O suspeito de fingir passar mal para não pagar a conta de R$ 6 mil em um bar de Goiânia foi liberado da prisão na tarde desta terça-feira ...

 

O suspeito de fingir passar mal para não pagar a conta de R$ 6 mil em um bar de Goiânia foi liberado da prisão na tarde desta terça-feira (19), segundo a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP). Ele estava preso na Casa do Albergado Guimarães Natal, em Goiânia.

Ruan Pamponet Costa, de 28 anos, ganhou liberdade provisória para sair do presídio sem pagar a fiança de R$ 10 mil. A juíza Maria Antônia de Faria, no entanto, determinou que ele não pode ir a bares, prostíbulos e locais de má fama para evitar novos calotes.

O suspeito alegou ser barman e não ter dinheiro para pagar a fiança. Ele foi preso no sábado (16) depois de beber uísques de R$ 1.450 cada garrafa, comer pratos de camarão com amigos e mulheres num bar do Setor Marista. Bombeiros foram chamados e descobriram que ele estava fingindo um mal-estar.

A magistrada determinou as seguintes obrigações para Ruan Pamponet ficar em liberdade:

  • Proibição de frequentar bares, prostíbulos e locais de má fama para evitar o cometimento de novas infrações;
  • Dever de recolhimento domiciliar no período noturno nos dias de folga;
  • Compromisso de comparecimento a todos os atos e termos do processo;
  • Comparecimento mensal em juízo para informar e justificar atividades (até o dia 10 de todo mês);
  • Proibição de aproximar-se de testemunhas e/ou vítimas para efeito de intimidação;
  • Manter endereço atualizado nos autos.

Calote

Segundo gerente do bar que foi vítima do calote, Rodrigus Vieira, o cliente se apresentou como ex-jogador de futebol e estava com outras pessoas na mesa, mas que foram embora antes dele

Ao final do dia, a conta ficou em R$ 5,7 mil em produtos, mais 10% da taxa de serviço, fechando em R$ 6,2 mil. Na comanda, havia duas garrafas de uísque de R$ 1,4 mil cada, mais de três de gin importado, além de pratos de picanha e camarão.

O gerente disse que Ruan começou a passar mal e uma equipe do Corpo de Bombeiros foi chamada para acudi-lo. No entanto, perceberam que ele estava fingindo e o confrontaram, ao que o cliente respondeu que não iria pagar a conta.

Ruan Pamponet é investigado por golpes em outros cinco estados. Em cidades do nordeste, ele teria dado calotes de R$ 2 mil e R$ 4 mil.

Redação com G1