Page Nav

HIDE

Médico é preso após não atender delegado com prioridade

  Um médico de Goiás foi preso na última quinta-feira (27) após se negar a atender um delegado com prioridade, em posto de saúde da cidade d...

 

Um médico de Goiás foi preso na última quinta-feira (27) após se negar a atender um delegado com prioridade, em posto de saúde da cidade de Cavalcante. Solto após audiência de custódia, Fábio Marlon Martins França classificou a situação como “humilhante” e “abusiva”.

– Eu acho que qualquer um na minha situação não aceitaria ser preso ilegalmente. Foi um excesso, foi um abuso, foi humilhante – declarou ele ao portal G1.

Fábio conta ter cogitado deixar a cidade por se sentir constrangido com a situação, mas mudou de ideia ao receber o apoio da população. Moradores da região protestaram em defesa do médico, conhecido por atuar no local há cinco anos.

A Polícia Civil se defendeu, afirmando que o médico foi detido por exercício ilegal da medicina, desacato e lesão corporal. No entanto, na audiência de custódia, ficou comprovado que Fábio tinha autorização para atuar na área da saúde. O profissional faz parte do Programa Mais Médicos, e seu contrato segue em vigor até novembro deste ano.

O juiz responsável pela soltura apontou suposto abuso de poder e disse que “nada justifica a condução coercitiva do profissional de saúde no momento que estava a atender o público”.

De volta a sua função no posto de saúde, Fábio afirma que manterá sua postura de tratar seus pacientes com equidade.

– Todos têm que ser iguais. Não é porque a pessoa tem um cargo melhor que vai passar por cima de pessoas que estão ali querendo atendimento, esperando sua vez. Isso eu não vou aceitar jamais. Se esse é o preço para eu cumprir, que me prenda novamente – assinalou.

Por Thamirys Andrade - Pleno News