Triplo homicídio: suspeito pode ter feito outra família refém nesta 5ª

.


Família de chácara vizinha, também no Incra 9, foi alvo de assalto. Mulher disse que criminoso se parece com Lázaro Barbosa



O suspeito de matar Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15, pode ter feito outra família refém nesta quinta-feira (10/6) na mesma região. Policiais militares estão em uma chácara próxima da que ocorreu o triplo homicídio na madrugada de quarta (9).

Uma moradora foi feita refém e disse que o homem que a atacou se parece com LÁZARO BARBOSA DE SOUSA. O suspeito fugiu. Helicópteros da polícia sobrevoam o local. A Polícia Civil, que investiga o triplo homicídio, ainda não confirmou se trata-se do mesmo homem.

Mas, segundo o capitão Rafael Cunha, da Polícia Militar do DF (PMDF), há fortes indícios de que seja Lázaro Barbosa. Dessa vez, a invasão ocorreu na chácara Portal do Sol, no Incra 9. Ele teria chegado por volta das 4h e família foi liberada às 15h.

De acordo com Silvia Campos de Oliveira, 40 anos, o homem que invadiu a sua casa possuía os mesmos traços de Lázaro. “Ele ficou na horta e o abordamos. Então, já tirou a arma. Estava alterado, ficou fumando maconha, carregando celular e pediu para que a gente cozinhasse para ele. Então, contou que veio da Bahia, que já roubava desde os 13 anos, para poder comer. Toda hora ele abria e fechava porta. Achei que fosse meter bala na gente. Falou que se a gente reagisse faria o mesmo que com a outra família, que ele matou no Incra. Mandou a gente não fugir”.

Silvia disse também que o homem que invadiu a casa dela perguntou se eles estavam acompanhando o caso do triplo homicídio. E afirmou: “Aquele crime lá eu tava junto, mas não fui só eu”.

Em frases desconexas, o suspeito ainda disse que mataria todo mundo caso acontecesse algo com a filha dele. Ele levou dois celulares, biscoito, pão, um casaco e dinheiro. Agentes da Polícia Civil do DF (PCDF) estão no local no momento pegando o depoimento da mulher.

Triplo homicídio

Uma das hipóteses para o triplo homicídio, ocorrido na Fazenda Vidal , no INCRA 9, em Ceilândia, é que Lázaro tenha invadido a casa para roubar os pertences da família. No entanto, ao ver que Cleonice Marques, 43, mulher de Vidal, pedia socorro pelo telefone, ele matou pai e filhos e se apressou em deixar o local do crime, levando ela como refém.

Cleonice ainda está desaparecida. Foi solicitado o apoio de helicóptero e cães farejadores para procurá-la . A Divisão de Repressão ao Sequestro (DRS) presta apoio às investigações. Cleonice presenciou a morte do marido e  dois filhos na fazenda Vidal.

A família morava e era dona de uma floricultura no local.

Na quarta-feira (9), foi solicitado apoio de helicóptero e de cães farejadores para procurá-la. A Divisão de Repressão ao Sequestro (DRS) presta apoio às investigações.

O irmão de Cleonice, Ivan Amorim, 60, contou ao Metrópoles que a família não vai desistir de procurá-la. “Vamos encontrá-la hoje. Estamos com muita esperança. Esse homem não pode ter ido muito longe com a Cleonice a pé. Vamos encontrar”, disse, emocionado.

Familiares e amigos das vítimas acreditam na hipótese de assalto. Segundo Edivaldo Gomes, amigo da família, as vítimas não tinham inimizade com ninguém e mantinham boas relações com os clientes da floricultura e com os vizinhos.

*Com Informações do Metrópoles 

Postar um comentário

0 Comentários

Páginas