Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Publicidade abaixo de destaque

Por unanimidade, STJ aceita denúncia e Witzel vira réu por corrupção e lavagem de dinheiro

A subprocuradora da República Lindôra Araújo pediu que a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) aceite a denúncia apresentada ...




A subprocuradora da República Lindôra Araújo pediu que a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) aceite a denúncia apresentada contra Wilson Witzel (PSC) e prorrogue por um ano a decisão de afastá-lo do cargo de governador do Rio de Janeiro (RJ).

Witzel é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro por supostamente comandar um esquema de desvio de recursos da Saúde em meio à pandemia de covid-19. Ele foi afastado do cargo em 28 de agosto pelo STJ.

“Vou pedir a prorrogação do afastamento do governador por mais um ano, a manutenção das medidas cautelares, inclusive as prisões preventivas, e vou pedir, além do afastamento de mais um ano, que ele não volte ao Palácio das Laranjeiras, que é residência oficial”, disse Lindôra ao STJ.

Em sua fala, Lindôra fez uma crítica a autoridades que participaram de esquemas para desviar verbas em meio à pandemia.

“Isso para mim, abro um parênteses, talvez tenha sido a coisa mais chocante que eu tenha visto, tanto no Rio quanto aconteceu em outros Estados da federação, que são, nessa pandemia, ao invés de proporcionar um momento afetivo, um momento em que as pessoas tentam minimizar essa dor, elas usaram em benefício próprio, talvez seja a coisa mais terrível que tenha acontecido em um momento de calamidade, eu diria que em um momento equiparativo à guerra”, disse.

Segundo ela, “as pessoas usaram em benefício próprio, o dinheiro que veio da União federal, para usar em hospitais de campanha, respiradores, ele foi desviado em benefício de outras pessoas, [ao invés] de usar em benefício da própria população morrendo”.

Por Terra Brasil NOTÍCIAS

Nenhum comentário

Publicidade rodapé