Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Publicidade abaixo de destaque

Pazuello faz crítica à João Doria ao afirmar que ele fez “jogada de marketing” com vacina; Governador de São Paulo responde “Chega de mentira”

Uma notícia tomou as manchetes dos jornais na manhã desta segunda-feira (18). O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, fez duras criticas ao g...




Uma notícia tomou as manchetes dos jornais na manhã desta segunda-feira (18). O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, fez duras criticas ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Assim, o ministro afirmou que o governador fez da vacinação uma “jogada de marketing”.

“Poderíamos num ato simbólico ou numa jogada de marketing iniciar a primeira dose em uma pessoa, mas em respeito a todos os governadores, prefeitos e todos os brasileiros, o Ministério da Saúde não fará isso. Senhores governadores, não permitam movimentos político-eleitoreiros se aproveitando da vacinação em seus estados”, afirmou Pazuello.

A crítica foi feita após a primeira pessoa do país ter sido vacinada. O ato foi transmitido ao vivo pelo estado de São Paulo.

Doria posou ao lado de Mônica Calazanz, enfermeira que trabalha na UTI do Hospital Emílio Ribas e teve o privilégio de ter sido a primeira pessoa do país a utilizar o imunizante após a autorização da Anvisa.

Após as críticas, Doria respondeu ao ministro e diz estar “atônito” com a declaração de Pazuello. Eu estou atônito com as declarações do ministro da saúde do Brasil. Diz o ministro Eduardo Pazuello: ‘as vacinas foram compradas com dinheiro do SUS, do governo federal, e não com o dinheiro do governo de São Paulo’. Ministro, é inacreditável, como ministro do estado da saúde, sem o menor zelo com a saúde, sem ser médico, sem ter conhecimento nenhum da saúde, sem planejamento, um desastre completo na saúde, ainda mente ao dizer isso. A vacina do Butantan só está em São Paulo e no Brasil porque foi investimento do governo do Estado de São Paulo, ministro. Não há um centavo até agora, até agora, do governo federal, para a vacina, nem para o estudo, nem para a compra, nem para a pesquisa. Nada. Chega de mentira, ministro. Trabalhe pela saúde do seu povo, seja honesto”, disse o governador de São Paulo.

Nenhum comentário

Publicidade rodapé