Page Nav

HIDE

Corpo encontrado em cativeiro é de Marcos Antônio, sogro de Elizamar

  O cadáver masculino encontrado  no cativeiro onde Renata Juliene Belchior, 52 (sogra de Elizamar) e Gabriela Belchior de Oliveira, 25, (cu...

 

O cadáver masculino encontrado no cativeiro onde Renata Juliene Belchior, 52 (sogra de Elizamar) e Gabriela Belchior de Oliveira, 25, (cunhada de Elizamar) teriam sido presas é de Marcos Antônio Lopes de Oliveira, 54, sogro da cabeleireira.

A informação foi confirmada ao Metrópoles nesta quinta-feira (19/1). Porém, a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) só vai cravar 100% de confirmação após laudo do IML

O corpo foi localizado na quarta-feira (18/1). O endereço fica numa residência do Vale do Sol, entre o Vale do Amanhecer e o Arapoanga, em Planaltina. Segundo o Corpo de Bombeiros do DF (CBMDF), que deu apoio nas buscas, além de esquartejado e degolado, o corpo tinha marcas de violência.

Diante da suspeita de que o cadáver encontrado seja de Marcos, a PCDF também acredita que o filho dele e marido de Elizamar, Thiago Gabriel Belchior, 30, esteja morto.

Arte/MetrópolesImagem mostra integrantes de família desaparecida, com fotos de 13 pessoas, entre suspeitos e possíveis vítimas, além da relação entre eles

Organograma sobre integrantes de família desaparecidos e assassinados. Atualizado em 19/1/2023, às 12h25

Cativeiro

Um dos presos por suspeita de participar da chacina da família da cabeleireira Elizamar da Silva, 39 anos, revelou, em depoimento, que vigiou a sogra e a cunhada dela em um cativeiro na cidade de Planaltina (DF) por duas semanas. Elas ficavam vendadas e amarradas.

O vendedor Fabrício, 34, disse à polícia, nessa terça-feira (17/1), que foi convidado por Gideon Batista, 55, outro preso, para que o ajudasse no sequestro de Renata Juliene Belchior, 52, e Gabriela Belchior de Oliveira, 25. Elas são, respectivamente, sogra e cunhada de Elizamar.

Gideon teria falado que o chefe do plano criminoso era Marcos Antônio Lopes de Oliveira, o sogro de Elizamar. De acordo com ele, Marcos ganharia R$ 100 mil pelo sequestro, e o dinheiro seria dividido entre os participantes do esquema.

Crédito: Metrópoles