Page Nav

HIDE

“Vou dar um beijo no Bonner hoje”, brinca Bolsonaro; VEJA VÍDEO

  Em vídeo divulgado pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria, o presidente Jair Bolsonaro (PL) diz que vai dar “um beijo” no apresentado...

 

Em vídeo divulgado pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria, o presidente Jair Bolsonaro (PL) diz que vai dar “um beijo” no apresentador do Jornal Nacional, William Bonner. O chefe do Executivo federal embarcou, no início da tarde desta segunda-feira (22/8), para o Rio de Janeiro, onde vai conceder a entrevista.

“Olha a cara de preocupado do presidente com o JN [Jornal Nacional]”, brinca Fábio Faria. “Opa! Vou dar um beijo no Bonner hoje, pô”, diz Bolsonaro, em meio a risadas.

A conversa entre o candidato à reeleição e os jornalistas William Bonner e Renata Vasconcellos está prevista para começar às 20h30, nos Estúdios Globo, entre os bairros de Jacarepaguá e de Curicica, na zona oeste da cidade do Rio.

Bonner comanda o Jornal Nacional há 26 anos e, em várias ocasiões, recebeu críticas do presidente e de integrantes da base aliada.

Bolsonaro se referiu ao apresentador como “mentiroso” e “cara de pastel”, porque, durante uma edição do jornal, Bonner disse que, na época, o Brasil dependia da Índia e da China — para receber, respectivamente, as doses da vacina de Oxford e a matéria-prima que subsidiaria a produção do imunizante em solo brasileiro.

Bolsonaro rebateu: “Não vou entrar no mérito desta questão aqui. William Bonner dizendo, no Jornal Nacional, que eu e o Ernesto minamos o nosso relacionamento com Índia e China. […] [Temos] Um excelente relacionamento, e nada mudou. Nada mudou e o Bonner vem mentir no Jornal Nacional? Com aquela cara de pastel dele, com cara de quem é sempre o último a saber”.

Convite aceito

No dia 5 de de agosto, o presidente Jair Bolsonaro (PL) concordou oficialmente em ir aos estúdios da Rede Globo, no Rio de Janeiro, para conceder entrevista ao Jornal Nacional.

Inicialmente, Bolsonaro queria negociar a realização da entrevista no Palácio da Alvorada, como foi feito com os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff em eleições anteriores.

O Partido Liberal, sigla à qual o presidente é filiado, havia solicitado que a entrevista ocorresse na Residência Oficial da Presidência, sob a alegação de que os ex-presidentes petistas tiveram o mesmo direito quando tentaram reeleição em 2006 e 2010, respectivamente. No entanto, após negativa da Globo, ele recuou e aceitou o convite.